quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Pesquisa engatilhada...

*Gareth Pugh, Spring-Summer 09

*Michael e Janet, em Scream

*Beyoncé, em Diva

Agora sim. Grupo definido (sempre um dilema à parte), hora de começar a quebrar a cabeça. Entramos em um consenso de que o subtema performance caberia totalmente em nossas ideias primordiais. Ainda pensando em tecnologia, não houve como escapar de pensar em futurismo. É, pode parecer clichè, mas é uma verdade inegável! Apesar da discussão em sala sobre o que é a tecnologia em si, dentro do universo da moda, por exemplo, chegamos a uma linha de raciocínio que aponta para os seguintes fatos: 1) tecnologia não é exatamente algo ligado a aparatos eletrônicos, ou seja, há diversas tecnologias escondidas atrás de atos simples, como balões de gás e flutuação (exemplo); 2) pode-se também pensar nas tecnologias relacionadas ao processo têxtil, tecnologia têxtil de novos fios, tramas e materiais; 3) para a nossa geração, a tecnologia se prende à evolução dos progressos científicos e obsolências, sendo que as tecnologias sucessoras são colocadas de lado, pesquisas que fundamentaram as descobertas do 'hoje' são tidas como 'ideias velhas'. A partir daí, voltando ao subtema performance e levando tudo isso em consideração, nos deparamos com a música, mais especificamente, clips. - Tudo bem, eu confesso, música pra mim é um universo sem limites pra inspirações.- Neste segmento da música, artistas e produtores visionários tem total liberdade pra colocar todo seu potencial criativo (e por que nao dizer revolucionário) pra fora e é daí que surgem as obras-primas. Scream, de Michael Jackson (que N.S. das Intervenções Plásticas o tenha) e sua sista, Janet (1995), é um exemplo do que buscamos explorar. Um clip limpo, acima de tudo. Minimalista, inovador e que claro, abusa de elementos futuristas incontestavelmente tecnológicos. Aliás, depois disso tudo, esbarrei em outro clip musical, mais recente: Diva, da (exótica) Beyoncé Knowles. Já havia visto algumas vezes, mas nunca tinha reparado em um pequeno detalhe de cena, um relance, em que ela aparece vestindo uma das criações minimal-geométricas de Gareth Pugh (S-S 2009). - Ela sabe das coisas... Não é por acaso que ela está dominando o mundo (Gosh!). - Penso que esse é o caminho, agora é enfiar a cara em pesquisas, pesquisas, pesquisas e pesquisas.

Um comentário:

  1. Parabéns pelas percepções... acredito que você será muito bom no que faz...

    ResponderExcluir